Arte e seu Tempo
Sheila Leirner (autor)

livro esgotado
Arte e seu Tempo é a nova coletânea de trabalhos críticos de Sheila Leirner. Trata-se de uma seleção e não de um diário de produção. Pois, além de excluir numerosos comentários mais incidentais e incluir vários ensaios inéditos, o conjunto está articulado de modo a oferecer um roteiro orgânico de leitura, tanto em termos da conceituação norteante quanto de visão conjugadora. O resultado é do maior interesse para o estudo e o debate do movimento das artes plásticas contemporâneas. Criações e criadores, vetores estéticos e sócio-históricos são examinados à luz de suas propostas efetiva ou supostamente fecundantes e revolucionárias, mas sempre na particularidade da imagem, expressão e linguagem do artista e de sua captação concreta da vivência e da idéia como pesquisa e experimentação. Esta amplitude e pertinência decorre, sem dúvida, da personalidade e das qualificações críticas da autora, que não é, apenas, uma observadora sensível, arguta e instrumentada das obras e dos fenômenos que são objeto de sua análise e aferição. Desde o início, Sheila Leirner marcou sua presença em nosso cenário cultural pela forma assumida e íntegra, radical e polêmica, com que focalizou o processo artístico da atualidade. Mas, espírito reflexivo e autocrítico, mostrou-se capaz de rever e reavaliar os seus pontos de vista, acompanhando a arte e a meditação que faz a seu respeito no seu complexo desenvolvimento neste fim do século XX. Prova-o a simples comparação entre o leitmotiv de seu primeiro livro Arte como Medida e o de agora Arte e seu Tempo. A crítica tem a ousadia e a honestidade de transferir a sua angulação da sincronia para a diacronia. O que é um sinal de sua capacidade de amadurecer-se e amadurecer no convívio com seus objetos-mundo.
Sumário
NOTA DA AUTORA  ........................................................ 15
ARTE E SEU TEMPO ....................................................... 17

1.  TEMPOS TRANSGREDIDOS: ARTE E CRÍTICA .............. 25

Introdução à Triologia Amorosa ..................................... 27
1ª Parte: Metáfora (de arte) da Crítica .......................... 31
2ª Parte: Metáfora (poética) da Crítica .......................... 35
3ª Parte: Metáfora (crítica) da Crítica ............................ 37
Uma Palestra ............................................................... 55
Uma Aula ..................................................................... 61
Falso Manifesto ................................................. .......... 69
O Dia em que Artista e Críticos se Derem Bem .............. 71
O Pequeno Infinito e o Grande Circunscrito ................... 74
Um Protesto ................................................................ 78

2.  NOVO TEMPO  ........................................................ 81

Crise? No Mundo, Sim. Na Arte, Anuncia-se o Futuro..... 83
Uma Era de “Nova Virgindade”  na Arte ........................ 88
Grandes Formatos: Euforia e Paixão ............................ 92
E o Desejo? ................................................................ 102
Pós-modernismo versus Modernismo. Qual a Saída ...... 104
“Geração 80”, Otimismo e Perigo ................................ 108
Além da Mera Aposta Comercial?  ................................ 112
A Forma de Manifesto o Agora ..................................... 115
O Presente, a um passo de decadência ........................ 118
A Ilusão do “Novo” ...................................................... 121
O que É um “Bom Trabalho” ? ...................................... 124
Arte e Loucura. Limites do Imprevisível.......................... 126
Pichação. E o Respeito ao Homem? .............................. 129
Na Rua, A Integração Artísta-Sociedade ........................ 133
Estética e Videotexto ................................................... 136
O Som como Arte ....................................................... 139
Vídeo de Artistas ......................................................... 142
Via Satélite, o Diálogo Pode Ser mais Próximos ............ 145
Antes que a Nausea... .................................................. 147
Qual a Real importância da Assinatura para a Arte?........ 149
Felipe IV ...................................................................... 152
Expressionismo e Neo-expressionismo ......................... 155
Israel: Tradição Milenar e Universalista em Direção ao Novo . 159

TEMPO REVELADO: INSTITUIÇÃO, IDEOLOGIAS, POLÍTICA ..... 163

A Responsabilidade com a Instituição Cultural: Questão do Museu
de Arte Moderna de São Paulo ...................................... 165
Arte e Sociedade. Revelação Secundária......................... 169
Sob os coloridos Balões das Saídas Doutrinárias............. 173
1ª Bienal Havana .......................................................... 176
Arte na Rua, um Projeto Contraditório ........................... 180
Arte postal enquanto  Acervo ........................................ 183
É Hora de as Instituições Compreende melhor a Arte que
Apresentam  ................................................................. 185
“Design no Brasil”, Exemplo da Perfeita Mediação ........... 188
Desenho Industrial: uma Outra Visão  ............................ 190
A Mostra de Pedro Alexandrino e Pinacoteca do Estado: um
Organismo Atuante ....................................................... 193
“Tradição e Ruptura”, a Construção de um Sonho .......... 196
Bienal de Veneza ........................................................... 201
“Arte na 17ª Bienal Internacional de São Paulo”............... 206
18ª Bienal Internacional de São Paulo ............................ 217
Bienal.  Uma Historieta para Crianças ( e Alguns Adultos) .. 228
19ª Bienal Internacional de São Paulo ............................ 234
A Questão do Salão ...................................................... 250
Por um Novo Salão ....................................................... 252

4. TEMPO RETOMADO  .................................................. 255

Schelemmer, Pai da Performance. E Defensor das
 Utopias Modernistas .................................................... 258
Georges Braque: a Arte em Profundidade ...................... 263
Picasso, Anos Finais. Um Tempo Revelador .................... 267
Rousseau. Essencial para a Arte Moderna ....................... 270
Henry Moore ................................................................. 273
Dubuffet: Expressividade, Prazer .................................... 276
“Tempos de Guerra” ...................................................... 279
Expressionismo: Herança e Afinidades  ........................... 283
“Em Busca da Essência” e Imaginários Singularidades”..... 286
Ismael Nery e a Essência, Cinquenta Anos Depois ........... 291
Oswaldo Goeldi, o Grande e Desconhecido Mestre........... 295
Grassmann,  Felizmente, Olha para Trás ......................... 298
Flávio de Carvalho: um Retrato e a Memória  de uma
Fiel Admiração  .............................................................. 301
Waldemar da Costa: Nome Integrado ao  nosso Processo Artístico ... 304
Darel Valença Lins: Paisagem Noturna ............................ 308
Gisela Eichbaum, o Confronto Direto com a Experiência... 310
Tomie Ohtake e a Síntese de Duas Culturas .................... 312
Iberê Camargo, Hoje ..................................................... 315
Arthur Luís Piza: Equilíbrio entre Contenção, Prazer e Erudição.. 319
Sérgio Camargo, entre a Pretensão e a Realidade ........... 323
Mira Scheldel e Amélia Toledo: mais Dois Mitos para as
Novas Gerações ............................................................ 326
Alfredo Volpi e a Simplicidade, a sua Grande Sabedoria. 329
Ferreira Gullar: um Sopro Delicado de Vivência e Bom Senso . 332
Frederico Morais e a Emoção da Crítica ............................ 335

TEMPO FRAGMENTADO .................................................... 337

Waldemar Cordeiro Uma Inteligente Aventura da Razão..... 340
Joseph Beuys. Vida e Obra, a sua Polêmica ....................... 343
Luciano Figueiredo, Herança de Oiticica ............................. 346
Tunga e o Prazer perverso ............................................... 349
Carmela Gross , A Perfeita Anatomia de um Enigma .......... 351
Cildo Meireles: Inteligência e  Inquietação .......................... 353
Waltercio Caldas: as imagens do Coutinho e a Pureza do Ato Poético .. 356
José Resende e o Retrato Fiel de uma Aç.......................... 360
Marco do Valle Revisita a Arte e Pensa o Presente ............ 363
Carlos Fajardo e Carlos Vergara: a Arte de Pensar a Arte .. 371
Hércules Barsotti: um Caminho Coerente e Convicto ........ 375
Jorge Guinle: a Pintura como Ato Heróico ......................... 379
Lucian Freud: A Grande Capacidade de Revelar o Espírito do Homem .. 381
José Roberto Aguilar e Márcia Grostein:  Duas Obras
e a mesma Ruptura ......................................................... 383
Ivald Granado: uma Pintura Provocadoramente Comercial. 386
Luis Paulo Baravelli: Qual a Verdadeira Face? .................... 388
Sérgio Romagnolo, à Maneira de um Não-Artista .............. 391
Uma Carta a Artur Alípio Barrio ........................................ 394
Eric Jiani, no Estreito Limite entre Realidade e Fantasia ...... 398
Fujita e a Essência da Arquitetura, por Meio da Arte .......... 401
Uma performance na Muralha da China ............................ 404

INDICE DAS ILUSTRAÇÃOE............................................... 407

SOBRE O LIVRO
assunto: crítica
coleção: debates 237
formato: 11,5x20,5 cm
páginas: 408
acabamento: brochura
edição: 1ª 1990
peso: 386 g
ISBN: 9788527300414

Editora Perspectiva
Av. Brigadeiro Luís Antônio, 3025
Jardim Paulista, São Paulo - SP
01401-000
(11) 3885 8388

Comunicação

Sobre a Editora

Contato

Preencha com o seu nome e e-mail e receba informações sobre a Editora Perspectiva.

Desejo receber informações sobre promoções, lancamentos e eventos da Editora Perspectiva

Redes Sociais

 

Copyright 2018, Editora Perspectiva