Disposição para o Assombro, A
Leopold Nosek (autor)

R$ 68,00


“O desamparo inicial dos seres humanos é a fonte primordial de todos os motivos morais”, escreveu Freud em 1895. Mais propriamente, é a fonte da ética, afirma o psicanalista Leopold Nosek. A devoção absoluta a cada ser que emerge na história – à perene alteridade desse rosto infinitamente novo – é o ato ético primordial. Em sua obrigatoriedade, ele cria o humano. Essa é uma das ideias que guiam Nosek em A Disposição Para o Assombro, coletânea de ensaios, conferências e entrevistas em que o legado freudiano ganha uma expressão extremamente original e inteligente. Na história da razão, a descoberta do inconsciente representou um choque cujos efeitos não cessam. Infinito, incapturável por definição, o inconsciente está aí, montado no pensamento como dado de apreensão da cultura e, antes disso, como elemento constituinte do sujeito.
Este livro demonstra que a psicanálise continuará a ser incontornável.
Indicar este livro
 Gostaria de receber informes e promoções da Editora Perspectiva.
Dê a sua opinião sobre a obra
Antes de escrever seu comentário, leia, por favor, as regras e orientações sobre este espaço:

  • os comentários devem ater-se ao livro sobre o qual se refere e a temas estritamente relacionados a ele;
  • o texto deverá ter no máximo 700 caracteres;
  • a editora Perspectiva reserva-se o direito de não publicar comentários preconceituosos ou racistas, observações grosseiras ou que agridam a honra de qualquer pessoa ou grupo de pessoas, textos sobre opiniões de outros leitores, bem como informações de conteúdo comercial;
  • as críticas apresentadas passarão a ser de domínio do site da editora.
700 carac.
Sumário

Introdução . . . . . . . . . .. . . . .  . . . xv

I. TRÊS CONFERÊNCIAS

1. Corpo e Infinito:
Notas Para Uma Teoria da Genitalidade .............. 3
1. Um Anseio Metapsicológico . . . . .....3
2. O Paradoxo do Objeto . . . . . . ............... .5
3. M. e o Fundo Cego . . . . . . . . . . . . . . . 8
4. A Genitalidade Como Entrada Para o Infinito . . 10
5. Desejo Metafísico . . . . . . . . . . . .  . . . 12
6. Anseios Por Uma Clínica “Bem-Sucedida” . . . . . 1
7. Objeto Incapturável. . . . . . . . 15
8. Lévinas: O Rosto, o Infinito e a Ética .......... . 18
9. O Infinito Silêncio das Entranhas . . . . . . . .  22
10. B. e a Fertilização Sem Intercurso . . . . 24
11. O Traumático e o Infinito . . . . . . . . .  . . . 26

2. Angústia e Narrativa Alegórica:
Notas Sobre a Construção de Sentidos na Análise . . . .31
1. Introdução . . . . . . . . . . .  . . . . . 31
2. Primeira Sessão . . . . . . . . .. . . . . . 33
3. Segunda Sessão . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36
4. A Situação Analítica . . . .  . . . . . 38
5. Narrativa e Alegoria . . . . . . . . . . . . . 39
3. O Cotidiano Traumático . . . . . . . . . . . . . . . . .45
1. Introdução . . . . . . . . . . . . .  . . . . . . . . 45
2. Modernidade Tardia . . . . . . . . . . . . . . . . 48
3. Um Breve Trajeto Teórico . . . . . . . . . . .. . 52
4. Dois Recortes Clínicos . . . . . . . . . . . . . . . 55
5. Finalizando . . . . . . . . . . . . . . . . . . 59

II. TRAJETOS DE REFLEXÃO

4. O Método Analítico: Uma Metáfora Musical . . . . . . . .65
1. O “Magnífico Sonho” de um Pai . . . . . . .. . . . 65
2. Acervo Onírico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 68
3. Um Tema Psíquico e Suas Variações . . . . 72
4. Projetos em Conflito . . . . . . . . . . . .. . . . . 77
5. Entre o Hábito e o Novo . . . . . . . . .  . . . . 80
5. Psicanálise e Arte Contemporânea . . . . . . . . . .85

1. Introdução: Onde Havia o Consciente,
Que Possa Haver o Inconsciente ...................85
2. “A Arte É o Sonho da Humanidade” . . . . . . . 89
3. Tentemos, no Século XXI, ao Menos Chegar
ao Século XX ...........................90
4. Uma Experiência: “Fale Com o Psicanalista” . . . . 92
5. A Arte da Clínica Como Instalação,
Performance e Alegoria ......................... 94

6. Variações Sobre um Tema de Antonino Ferro:
Alfabetizar as Emoções . . . . . . . . . . 101
1. Introdução . . . . . . . . . . . . . . . . . 101
2. História de uma Aproximação Singular . . . . . . . 104
3. Leituras da Psicanálise . . . . . . . . . . . . . . 105

4. Primeira Variação: “São Tantas as Verdades” . . . 109
5. Segunda Variação: “O Pescador de Palavras” . . . 116
6. Terceira Variação: “Jogos Perigosos” . . . . . . . . . . 122
7. Quarta Variação: Uma Narrativa Construída Por
Imagens: “Leo Não Consegue Mudar o Mundo” ......... 129
8. Na Língua dos Sonhos ou da Arte . . . . . . . . . . . . 133

7. Vicissitudes da Imagem . . . . . . . . .  . . . . 147
1. Abertura: A Comissão de Frente . . . 148
2. Alegorias e Adereços . . . . . . . . . . 150
3. Ficções . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 153
4. Arqueologias . . . . . . . . .  . . . . . . . 154
5. Abertura Para o Infinito . . . . . . . .  . 158

8. Tempo e Subjetividade . . . . . . . . . . . .. . . 163
9. Desaparecidos: Uma História de Dor (I) . . . . . . 173
1. A Luz do Passado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 173
2. “e beija as terríveis mãos homicidas” . . . .. 176
3. Tempos Que Coexistem . . . . . . . . . . . . .. . 179
4. A Necessidade do Corpo . . . . . . . . . . . . . . 184

III. NA INSTITUIÇÃO
10. O Analista e Sua Circunstância . . . . . . . . . . . 191
11. O Tal Complexo de Édipo . . . . .. . . 205
1. Apresentação . . . . . . . . . . . . . . . . .. . . . . . 205
2. Senhor e Escravo . . . . . . . .  . . . . . . . . 208
3. Figuração Versus Abstração . . .  . . . . 209
4. Recorte de Uma Análise . . . . . . . . . . . . 212

12. Entrevista: Uma Conversa Sobre Formação . .  . . 217
13. A Pesquisa Empírica e a Especificidade
da Psicanálise . . . . . . . . . . . . . . . . 237
14. A Primeira Vez? . . . . . . . .  . . . . . 243
15. Violência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 245

16. Psicanálise no Brasil: Uma Fotografia Virtual . . .  . . 249
1. A História Como Abrigo . . . . . . . . . 249
2. As Imagens Como Ruínas . . . . . . . .  . . . . 251
3. Um Instantâneo do Passado . . . . . . . 253

17. Apontamentos de Viagem: Comentário Sobre
Supervisões de Bion . . . . . . .. . . . . . . . . 261

IV. DENTRO DA PSICANÁLISE,
DENTRO DA CULTURA, DENTRO DA HISTÓRIA

18. Entrevista: Doutor Freud Vem Aí . . . . . . 273
19. Freud, o Estrangeiro . . . . .  . . . 281
1. Uma Ciência de Estranhos . . . . . . . . . . . . 282
2. Crise e Globalização . . . . . . .  . . . 283
20. Dor, Forma, Beleza . . . . . . .  . . . . . . . . 285

21. Surfar a Onda dos Tempos . . . . .  . . . . . 289
22. Desaparecidos: Uma História de Dor (II) . . . . . 295
23. Schumann e a Possibilidade de Sonhar:
Sinfonia n. 2 em Dó Maior, Opus 61 . . . .  299
24. Entrevista: Entre Amigos . . . . . . . . 303

Índice Remissivo . . . . . . . . . . . . . . . . 377
SOBRE O LIVRO
assunto: psicanálise e psicologia
coleção: estudos 354
formato: 12,5x22,5 cm
páginas: 416
acabamento: brochura
edição: 1ª 2017
peso: 502 g
ISBN: 9788527311175
Leopold Nosek
LIVRO PUBLICADO

Editora Perspectiva
Av. Brigadeiro Luís Antônio, 3025
Jardim Paulista, São Paulo - SP
01401-000
(11) 3885 8388

Contato

Preencha com o seu nome e e-mail e receba informações sobre a Editora Perspectiva.

Desejo receber informações sobre promoções, lancamentos e eventos da Editora Perspectiva

Redes Sociais

 

Copyright 2017, Editora Perspectiva